Menu

Notícias

Em ritmo de samba: Carnaval também se aprende na escola

Data: 7 de março de 2019

Confetes, serpentinas e muitas fantasias: é esse o imaginário popular, principalmente infantil, da festa mais tradicional do Brasil. Mas não é só a isso que o Carnaval se resume, nem muito menos a samba e carros alegóricos, a celebração acompanha o multiculturalismo brasileiro e desperta em todo o país diversas facetas que merecem ser compreendidas. É com esse intuito que o Instituto Educacional Casa Escola sai do tradicional e trabalha com as crianças os diferentes perfis carnavalescos que o período oferece. “Iniciamos o trabalho do carnaval a partir da vivência de cada criança durante a festividade, provocamos através de imagens e vídeos perguntas sobre o que elas sabem sobre o carnaval. Diante do que nos trazem, elencamos os objetivos a serem trabalhados”, destaca Isabelle Halita, professora do Grupo V que tem abordado junto à turma a história do Rei Momo como personagem simbólico do festejo.

78DA-e1551975522993-300x161 Em ritmo de samba: Carnaval também se aprende na escola

“O que ele significa? Por que esse nome? E como ele surgiu? Qual a simbologia quando o prefeito entrega a chave da cidade para o Rei Momo? Esses são alguns dos questionamentos que respondemos durante o estudo”, completa a professora. Outro viés pouco abordado trabalhado pela turma do Ensino Infantil é o famoso ‘Mela-mela’. “Buscamos resgatar um pouco da forma com que o carnaval é comemorado em muitos lugares, inclusive em cidades do nosso Estado”, comenta Isabelle. A tradição surge pela disputa entre os participantes que atingiam com farinha e uma mistura de água e limão outras pessoas que não participavam da festa. Depois de estudar sobre o tema, o grupo pôde vivenciar na prática o costume e cair na brincadeira com farinha e tinta guache, dentro da escola.

Antes de cair na folia pelas ruas do bairro, alunos estudam o significado da festa carnavalesca

Outras turmas da escola também trabalharam as diversas formas de brincar carnaval pelo Brasil. O Grupo IV, por exemplo, se aprofundou no frevo através de livros e histórias e, depois da teoria, a criançada até arriscou alguns passos da dança na prática. “É muito importante trazer essas atividades multiculturais para dentro de sala de aula, os alunos produzem cultura e história a partir da análise sobre determinado tema”, aponta Juliana Pessoa, professora da turma.

Unidos da Casa Escola

Além dos estudos sobre a festividade, na última quinta-feira (28), o tradicional Bloco Unidos da Casa Escola saiu pelas ruas do bairro de Candelária. O bloco reuniu pais, alunos, professores e a comunidade em um animado desfile com carro de som no entorno da escola. O evento na rua aconteceu pelo terceiro ano e sempre conta com o apoio da Prefeitura de Natal através dos agentes de trânsito.

Fonte: Tribuna do Norte →

← Voltar