Menu

Níveis de Ensino

EDUCAÇÃO INFANTIL

Na educação infantil da Casa Escola, nosso olhar para as crianças se dá com o objetivo de que elas conheçam o mundo através de pesquisas permitindo-lhes questionar e buscar novos conhecimentos. Assim, o nosso aluno é estimulado para o desenvolvimento amplo nas dimensões cognitiva, emocional, social e corporal. Nesse processo, estamos atentos à maneira individual de elas interagirem com o outro, com o ambiente e com o contexto em que estão inseridas. Essas situações são marcadas por jogo, brincadeira, imaginação e construção do conhecimento.

A nossa prática pedagógica consiste em proporcionar situações significativas e desafiantes no intuito de estimular valores e atitudes reflexivas, que contemplem a constituição da identidade, a conquista progressiva de autonomia e as trocas, priorizando o desenvolvimento de habilidades e competências a partir de experiências concretas. Dentro desse contexto, nossa rotina diária se constitui de vários momentos.

Metodologia

Os estudos são estruturados de forma dinâmica e interativa, respeitando uma rotina diária e um planejamento construído por várias mãos, incluindo aluno, professor auxiliar, professor, coordenação e direção. Nesse sentido, o professor atua como agente de um saber que orienta, avalia e auxilia o aluno em suas descobertas no uso das diferentes linguagens.

Durante o processo de aprendizagem no meio escolar, os alunos compartilham as mais diversas experiências dentro e fora da escola, inclusive com aulas passeio, visitas, entrevistas, experimentos, dentre outros, que oportunizam a ampliação do conhecimento.

No dia a dia, o trabalho está voltado para a construção e estruturação da autonomia, em que os discentes se tornam mais autores de seus estudos. Tal dinâmica nos faz perceber um amadurecimento notável em nossos alunos, que se mostram capazes e conscientes para fazer críticas, refletir sobre as posturas pessoais e coletivas, trazer soluções, trocar ideias e se responsabilizar pelos seus compromissos e atitudes.

Avaliação

Consideramos a avaliação um instrumento de acolhimento inseparável da aprendizagem. A partir de um olhar focado no aluno e em suas produções, o professor identifica habilidades e dificuldades, com vistas a reconhecer suas conquistas e apontar novas possibilidades de aprendizagem e crescimento. A avaliação é um processo regido pela vivência do aluno na rotina escolar, principalmente na participação das atividades individuais e em grupo, bem como nas questões de ordem subjetiva, contemplando compromisso com as atividades de classe e de casa, respeito ao outro, cuidado e organização com materiais coletivos e individuais.

Nesse sentido, os familiares podem acompanhar os avanços de seu filho, apreciando, lendo, mediando e questionando, em parceria com a escola, as:

  • Atividades de casa;
  • Atividades avaliativas específicas;
  • Relatórios do trabalho (blog da turma ou relato);
  • Relação dos objetivos alcançados pelo aluno a cada trimestre;
  • Apreciação do aluno a cada semestre;
  • Entrevistas com a equipe pedagógica (professor, tutor e demais profissionais).

No dia a dia, há várias situações em que o professor pode observar e avaliar o aluno tanto em suas relações sociais como em sua cognição. À medida que o aluno se desenvolve, as situações se alteram segundo a sua maturidade, desenvolvimento e as exigências lançadas. Portanto, as situações avaliativas podem variar conforme o segmento em que o aluno se encontra:

  • Roda de conversa (avaliação diária);
  • Momentos de brincadeiras e faz de conta;
  • Observações do professor;
  • Atividades coletivas;
  • Atividades individuais;
  • Portfólio.

 

GI e GII

Os grupos I e II proporcionam situações lúdicas que possibilitam à criança explorar, conhecer a si mesma e o mundo que a rodeia. Diante disso, trabalhamos o desenvolvimento cognitivo/afetivo e do movimento por meio de suas vivências, favorecendo a linguagem, a sociabilidade e uma maior independência. Nessa fase, as crianças têm o primeiro contato com as músicas e a literatura infantil, o pensamento lógico e matemático, as curiosidades científicas, as primeiras preocupações com o outro, tudo isso em um ambiente que se processa distante da família.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

GIII

O trabalho pedagógico no Grupo III viabiliza situações organizadas que possibilitam às crianças explorarem e conhecerem a si mesmas e o mundo, considerando a instabilidade emocional voltada à inserção do mundo imaginário, natural dessa faixa etária. Permite, ainda, o desenvolvimento cognitivo/afetivo e do movimento através do encadeamento lógico de suas vivências diárias, oportunizando também a sociabilidade e a construção da independência.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

GIV

A partir do Grupo IV, considerando as novas visões de multiletramentos, as crianças começam a se envolver com outros saberes, como o ensino do inglês, da informática e de outras temáticas não contempladas nas listagens curriculares, que respeitam a demanda do grupo e as novas concepções educacionais que emergem. Isso acontece por meio das produções de leitura, escrita e oralidade, na concepção sociointeracionista de linguagem, contemplando as diferentes áreas do conhecimento, tanto nas buscas pessoais como nas coletivas.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

GV

No Grupo V, estimulamos cada vez mais o desenvolvimento cognitivo e afetivo por meio do encadeamento lógico das vivências diárias das crianças. Nessa etapa, provocamos os alunos a cooperar, dividir e somar ideias e situações distintas, além de despertar o interesse pelas dificuldades dos colegas, de maneira a contribuir para os avanços do grupo. É nessa fase também que se sistematiza a fase silábico-alfabética a partir do reconhecimento do valor social da escrita.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

FUNDAMENTAL I

A proposta Pedagógica do Ensino Fundamental I, referente ao ensino do 2º ao 5º Ano, baseia-se nas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, para direcionar os conteúdos a serem trabalhados com os alunos. Os conteúdos são desenvolvidos como Projetos de Pesquisas, que são planejados de maneira a apreciar as vivências dos alunos como campo de curiosidade e interesse, considerando o que já sabem sobre o assunto, o que gostariam de saber e o que aprenderam sobre o tema em pesquisas.

Nessa perspectiva, abrimos espaço para a espontaneidade e singularidade dos discentes, de forma que o conhecimento possa ser construído de maneira significativa e representativa nos aspectos histórico e social. Utilizamos ainda as aulas de campo para oportunizar situações de aprendizagem nas quais os alunos podem constatar as hipóteses formuladas anteriormente. Desse modo, o conhecimento é construído dentro de uma rede de informações interligadas com as demais áreas do conhecimento, sendo relacionado às experiências de vida dos sujeitos implicados.

 

Metodologia

 

Os estudos são estruturados de forma dinâmica e interativa, respeitando uma rotina diária e um planejamento construído por várias mãos incluindo aluno, professor auxiliar, professor, coordenação e direção. Nesse contexto, o professor atua como agente de um saber que orienta, avalia e auxilia o aluno em suas descobertas no uso das diferentes linguagens.

Durante o processo de aprendizagem no meio escolar, os alunos compartilham as mais diversas experiências dentro e fora da escola, inclusive com aulas passeio, visitas, entrevistas, experimentos, dentre outras, que oportunizam a ampliação do conhecimento.

No dia a dia, o trabalho está voltado para a construção e estruturação da autonomia, em que os discentes se tornam mais autores de seus estudos. Tal dinâmica nos leva a perceber um amadurecimento notável em nossos alunos, que se mostram capazes e conscientes para fazer críticas, refletir sobre as posturas pessoais e coletivas, trazer soluções, trocar ideias e se responsabilizar pelos seus compromissos e atitudes.

 

Avaliação

 

Consideramos a avaliação um instrumento de acolhimento inseparável da aprendizagem. A partir de um olhar focado no aluno e em suas produções, o professor identifica habilidades e dificuldades, com vistas a reconhecer suas conquistas e apontar novas possibilidades de aprendizagem e crescimento. A avaliação é um processo regido pela vivência do aluno na rotina escolar, principalmente na participação das atividades individuais e em grupo, bem como nas questões de ordem subjetiva, contemplando compromisso com as atividades de classe e de casa, respeito ao outro, cuidado e organização com materiais coletivos e individuais.

Nessa perspectiva, os familiares podem acompanhar os avanços de seu filho, apreciando, lendo, mediando e questionando, em parceria com a escola, as:

  • Atividades de casa;
  • Atividades avaliativas específicas;
  • Relatórios do trabalho (blog da turma ou relato);
  • Relação dos objetivos alcançados pelo aluno a cada trimestre;
  • Apreciação do aluno a cada semestre;
  • Entrevistas com a equipe pedagógica (professor, tutor e demais profissionais).

 

Na rotina escolar, há várias situações em que o professor pode observar e avaliar o aluno tanto em suas relações sociais como em sua cognição. À medida que o aluno se desenvolve, as situações se alteram segundo a sua maturidade, desenvolvimento e as exigências lançadas. Portanto, as situações avaliativas podem variar conforme o segmento em que o aluno se encontra:

  • Atividades espontâneas e dirigidas;
  • Jogos e desafios práticos;
  • Trabalhos de pesquisa roteirizados;
  • Apresentação oral;
  • Conselho com a participação de todos, para criticar, sugerir e tomar decisões;
  • Autoavaliação;
  • Ficha do conteúdo estudado;
  • Retomadas e esclarecimento das dúvidas a respeito do assunto não compreendido;
  • Planejamento e replanejamento das responsabilidades.

 

 

1° ANO

O fazer pedagógico no 1º Ano proporciona situações sistemáticas de aprendizagem de forma que a criança possa explorar, indagar, compartilhar, conceituar, reformular, ressignificar, inclusive conhecer a si mesma e o mundo que a rodeia. Além disso, a partir da inserção da letra cursiva e de práticas mais complexas de leitura e produção de textos, o aluno começa a desenvolver a capacidade de senso crítico, a cooperação, a construção da autonomia e a criatividade, favorecendo a organização no trabalho individual e coletivo tanto no meio escolar como em outras experiências que venham a somar ao seu crescimento pessoal e social.

 

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

2º ANO

A organização das disciplinas para o 2º Ano, além de contemplar os conteúdos curriculares sistematizados pelos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) e as exigências básicas do MEC (Ministério da Educação), visa relacionar a sala de aula e as novas visões de multiletramentos, buscando, dessa forma, a ampliação de conteúdos curriculares por meio do envolvimento do aluno com as produções de conhecimento nos vários domínios da linguagem. Assim como no 1º Ano, o foco central é ampliar a plena alfabetização da criança.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

3º ANO

A organização das disciplinas para o 3º Ano, além de contemplar os conteúdos curriculares sistematizados pelos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) e as exigências básicas do MEC (Ministério da Educação), visa relacionar a sala de aula e as novas visões de multiletramentos, buscando, dessa forma, a ampliação de conteúdos curriculares por meio do envolvimento do aluno com as produções de conhecimento nos vários domínios da linguagem. No 3º Ano, o foco central é finalizar o pleno processo de alfabetização da criança.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

4º ANO

Assim como nas demais turmas, além de observar os conteúdos curriculares exigidos pelos PCNs e pelo MEC, a sistematização do ensino para o 4º ano também considera os princípios do Projeto Político Pedagógico da Casa Escola, direcionando, assim, o trabalho pedagógico aos projetos de pesquisa. Nessa perspectiva, há uma ampliação de outras temáticas que não estão contempladas nas listagens curriculares e um maior envolvimento do aluno em suas produções, o que se relaciona às novas visões de multiletramentos.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

5º ANO

Com o objetivo de preparar os alunos para os anos finais do Ensino Fundamental, a aprendizagem dos conteúdos curriculares e o Projeto de Pesquisa voltam-se para que o estudante garanta o desenvolvimento de interesses e sensibilidades que lhe permitam usufruir dos bens culturais disponíveis na comunidade, na sua cidade ou na sociedade em geral, possibilitando, ainda, que se sinta como parte integrante dessas três formas de organização social.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

FUNDAMENTAL II

Em busca de um modelo de trabalho coletivo, mais autônomo e a fim de acompanhar as mudanças deste século, na Casa Escola foram estabelecidas algumas alterações com o intuito de que os alunos tivessem maior envolvimento nas determinações tanto de cunho pedagógico como nas decisões da escola em geral. Com esse propósito, os alunos se reúnem semanalmente em Assembleia para debater os assuntos de seus interesses, organizam-se em Grupos de Responsabilidade e são acompanhados pelos tutores nos momentos de Tutoria em seus estudos.

No dia a dia, há várias situações em que o professor pode observar e avaliar o aluno tanto em suas relações sociais como em sua cognição. À medida que o aluno se desenvolve, as situações se alteram segundo a sua maturidade, desenvolvimento e as exigências lançadas. Portanto, as situações avaliativas podem variar conforme o segmento em que o aluno se encontra.

Metodologia

Os estudos são estruturados de forma dinâmica e interativa, respeitando uma rotina diária e um planejamento construído por várias mãos, que incluem aluno, professor, coordenação e direção. Desse modo, o professor atua como agente de um saber que orienta, avalia e auxilia o aluno em suas descobertas no uso das diferentes linguagens.

Durante o processo de aprendizagem no meio escolar, os alunos compartilham as mais diversas experiências dentro e fora da escola, inclusive com aulas passeio, visitas, entrevistas, experimentos, dentre outras, que oportunizam a ampliação do conhecimento.

No dia a dia, o trabalho está voltado para a construção e estruturação da autonomia, em que os discentes se tornam mais autores de seus estudos. Tal dinâmica nos leva a perceber um amadurecimento notável em nossos alunos, que se mostram capazes e conscientes para fazer críticas, refletir sobre as posturas pessoais e coletivas, trazer soluções, trocar ideias e se responsabilizar pelos seus compromissos e atitudes.

Avaliação

Consideramos a avaliação um instrumento de acolhimento inseparável da aprendizagem. A partir de um olhar focado no aluno e em suas produções, o professor identifica habilidades e dificuldades, com vistas a reconhecer suas conquistas e apontar novas possibilidades de aprendizagem e crescimento. A avaliação é um processo regido pela vivência do aluno na rotina escolar, principalmente na participação das atividades individuais e em grupo, bem como nas questões de ordem subjetiva, contemplando compromisso com as atividades de classe e de casa, respeito ao outro, cuidado e organização com materiais coletivos e individuais.

Com base nesse processo, os familiares podem acompanhar os avanços de seu filho, apreciando, lendo, mediando e questionando, em parceria com a escola, as:

  • Atividades de casa;
  • Atividades avaliativas específicas;
  • Relatórios do trabalho (blog da turma ou relato);
  • Relação dos objetivos alcançados pelo aluno a cada trimestre;
  • Apreciação do aluno a cada semestre;
  • Entrevistas com a equipe pedagógica (professor, tutor e demais profissionais).

No dia a dia, há várias situações em que o professor pode observar e avaliar o aluno tanto em suas relações sociais como em sua cognição. À medida que o aluno se desenvolve, as situações se alteram segundo a sua maturidade, desenvolvimento e as exigências lançadas. Portanto, as situações avaliativas podem variar conforme o segmento em que o aluno se encontra:

  • Atividades espontâneas e dirigidas em cada disciplina;
  • Jogos e desafios práticos;
  • Trabalhos de pesquisa;
  • Apresentação oral;
  • Conselho com a participação de todos, para criticar, sugerir e tomar decisões;
  • Autoavaliação;
  • Testes e Fichas do conteúdo estudado;
  • Retomadas e esclarecimento das dúvidas a respeito do assunto não compreendido;
  • Planejamento e replanejamento das responsabilidades;
  • Estudos organizados por meio das planilhas;
  • Tutorias (planejamento, execução das atividades planejadas, autoavaliação da tutoria, dentre outros);
  • Grupos de responsabilidades – GRs (planejamento, execução das atividades planejadas, autoavaliação dos GRs, dentre outros).

 

6º ANO

No 6º Ano, a primeira etapa do Ensino Fundamental II, o objetivo é estimular o aluno a desenvolver um olhar mais maduro sobre as disciplinas estudadas, de modo a compreender a utilidade de cada uma delas com vistas a entender o meio que o cerca, bem como para que forme concepções mais articuladas e aprofundadas a respeito do seu papel como cidadão do mundo.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

7º ANO

O 7º Ano dá continuidade à dinâmica do Fundamental II. O foco passa a ser a diversidade de conhecimentos dos alunos, o que, em uma abordagem contemporânea e construtivista, deve considerar, além da utilidade de cada disciplina, a dinâmica social que as abrange e as constrói. Dessa forma, todos devem ser convocados a participar com suas próprias ideias na construção desse conhecimento.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

8º ANO

No 8º Ano, assim como em todas as etapas do Ensino Fundamental II, os estudantes são estimulados à formular questionamentos que deverão fazer sentido dentro da realidade de cada aluno (em um panorama mais amplo do âmbito escolar, do bairro, da cidade ou, se possível, globalmente).  Nesse contexto, a estruturação do saber em rede depende dos conhecimentos prévios dos alunos, com novas interpretações da realidade, impulsionados por conteúdos familiares e instigantes, gerando a aprendizagem significativa.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

9º ANO

A última etapa do Ensino Fundamental II é uma fase de ajuste e preparação para uma escola fora da Casa Escola. Nesse ano escolar, consideramos, com mais ênfase que nos anos anteriores, os critérios que orientam a transição do aluno para um estágio de estudos posterior, o Ensino Médio.

Projetos & Dicas →

Notícias →

 

VIVEIRO

O Viveiro da Casa Escola é um espaço especial para observar e se envolver com os cuidados das plantas e dos animais. As crianças participam de todas as etapas do plantio, desde o preparo do solo até a hora da colheita. O que é colhido é levado à mesa, como os legumes e verduras da horta, quando degustados em grupo, têm maior aceitação dos alunos.

 

OFICINAS

As oficinas são partes integrantes do processo pedagógico. Constituem-se em atividades extraclasse oferecidas a fim de proporcionar reforço no desenvolvimento motor, na socialização e também na complementação da formação das crianças. Elas são oferecidas no contraturno com profissionais específicos em cada uma.

Ainda no primeiro semestre ocorre a Amostra de Oficinas, evento que reúne as variadas modalidades oferecidas na escola para que as crianças, pais e comunidade escolar possam experimentar as oficinas disponibilizadas na escola de modo bem lúdico e descontraído.

 

EDUCAÇÃO AMPLIADA

A Educação Ampliada é um serviço que oferece a ampliação da permanência do aluno na escola e garante o seu bem-estar. Durante esse período, é disponibilizado um ambiente de estímulos às mais variadas habilidades da criança e apoio aos pais na otimização do tempo. Assim, o aluno pode almoçar na escola, fazer suas tarefas de casa com a orientação de um profissional e participar de várias atividades complementares, como jardinagem, atividades lúdicas, artes, musicalização e a prática de esportes. As trocas entre as crianças são essenciais e a postura pedagógica profissional contribui para se criar um ambiente acolhedor propício ao desenvolvimento.

Modalidade Almoço

O que está incluído – almoço e banho com acompanhamento

Horário inicial – 11h30

Horário final – 13h

 

Ampliada Parcial

O que está incluído – almoço, banho, descanso e dever de casa

Horário – até às 15h

 

Ampliada Completa

O que está incluído – almoço, banho, descanso, dever de casa, lanche, musicalização, culinária, jardinagem, informática

Horário – até às 17h45

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

A Sala de Recursos Multifuncionais possui materiais didáticos e pedagógicos específicos para aprimorar a oferta do atendimento educacional especializado, tendo como objetivo prover, no contraturno, condições de acesso, participação e aprendizagem aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação.